InConfidências

Nome:
Localização: Portugal

terça-feira, maio 10, 2005

Das estrelas ao coração

Passeando por aí encontrei mais algumas "pérolas" que me fazem pensar no muito que posso perder se não navegar amiúde. É o caso do site da NASA Science Visualization Studio http://worldwind.arc.nasa.gov/index.html Conhecer mais profundamente a dimensão da minha ignorância é um exercício que faço com prazer, já que vou colhendo algumas migalhas do que constitui o pão da sabedoria. Mas por outro lado, sinto falta das conversas, normalmente a três, que houve tempos, mantinha com amigas que também me davam conta da cabeça. Ou seja obrigavam-me a pensar. Hoje em dia a pressão do dia-à-dia, pessoal e profissional remete-me para a Net onde estou mais próximo das estrelas mas tão longe do coração...

segunda-feira, maio 09, 2005

Hibernação

Acho que a hibernação sugerida pela Viajante é uma excelente desculpa!
Só pode ter sido por isso que a interrupção foi tão longa.
Na verdade, tenho a consciência de que a falta de força para passear por estes espaços, acaba por resultar em menor apetência para o fazer e assim sucessivamente, qual pescadinha de rabo na boca...
Mas hoje as sinapses devem ter feito curto-circuito, e depois de me sentir provocado, venho confidenciar um pouco. Só um pouco, porque a "ferrugem" ainda não passou.
E os novos desafios que estão presentes na minha vida, têm de ser encarados com responsabilidade e eficiência.
Até já...

sexta-feira, dezembro 31, 2004

Repouso do Guerreiro...

Não tenho tido nem tempo nem pachorra para plantar aqui um post. Não me tem apetecido. Mais do que a falta de tempo, até porque hoje é tarde e aqui estou... Mas sinto que tem sido uma pausa necessária. Não por cansaço de escrever aqui (que a prosa ainda é curta) mas por falta de força anímica. Há coisas que nos fortalecem, outras nem por isso. E é a essas que é preciso dar a volta e "fazer das fraquezas, forças". Ora para isso Eu preciso de tempo. Daí o intervalo que óbviamente hoje está a terminar, até porque se aproxima o novo ano, altura em que é habitual tomar novas decisões. Penso que mais importante é balisar temporalmente as decisões, porque se é necessário esperar pelo fim do Ano para tomar as decisões, era porque afinal elas não eram precisas... Mas enfim, veremos o que os próximos dias nos trazem.

segunda-feira, dezembro 13, 2004

Do outro lado

Quando se fala em nós nos pormos no lugar do outro para poder ajudar ou pior que isso julgar, nada pode ser mais falacioso. Por um lado, o percurso de cada um, leva a que os valores da apreciação da mesma situação sejam diversos, ou seja perante a mesma situação, pessoas diferentes mas em igualdade de circunstâncias apreciam diferentemente essa mesma situação. Por outro lado nem mesmo com percursos semelhantes eu posso valorizar o que o outro sente na sua circunstância. Eu já pensava isto, mas circunstâncias próximas, levaram a que eu estivesse na situação diversa da que ocupo habitualmente. E a minha idéia saiu muito reforçada, de nunca devemos aquilatar o que o outro sente ou como valoriza determinado acontecimento. Aquilo que eu senti e a forma como valorizei a dor não tem nada a ver com o que dizemos aos outros para suportarem essa mesma dor. É habitual eu dizer, que todos devíamos ser internados, para experimentar o que é estar do outro lado, sentindo na própria pele o "remédio" que nós costumamos dar. Não estava à espera era de ser eu a provar a"receita". Bom, ao menos serviu para comprovar que tinha razão: Faz bem passar pelo outro lado...

quinta-feira, novembro 25, 2004

Trabalho

Que trabalho é este que me absorve de tal modo, que nem quero perto quem está longe? Workhaólico? Não me parece. Os meus interesses também vão para outros campos, seja só, ou acompanhado. E no capítulo da companhia, a descoberta de jovens companheiros tem de ser moderada, para não estragar nem a construção desse conpanheirismo, nem correr o risco da exclusividade, que pode levar alguém a ficar de fora. Ainda mais. Não seria justo. Até porque os meus argumentos são mais aliciantes: não exijo sómente e sei dar satisfação. Voltando ao trabalho, o problema é que ele me dá prazer. Prazer de construir, prazer de pensar o novo e repensar o velho. Pois, deve ser da idade...

Estreia

Sou blogista por acidente. O que não deixa de ser interessante, porque ninguém me obrigou. E ter a noção de poder partilhar sentimentos profundos e muito pessoais ao abrigo de um pretenso anonimato é para mim desafiador. E também uma necessidade, já que o dia a dia da vida faz com que quem está próximo esteja muito longe, e pior que tudo, nem sabe. Por mais que lhe diga. Chega, para estreia...